Produção de grãos deve crescer 4% em Goiás

A produção agrícola goia­na deve crescer em torno de 4% em 2112 sobre o ano passado e alcançar 15,6 milhões de toneladas, contra 15 milhões de toneladas naquele ano, na segunda prévia do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de fevereiro, divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sobre primeira previsão calculada em janeiro houve uma alta de 208 mil toneladas.

A melhora na safra goiana é resultado da maior produção nos três principais itens cultivados no Estado: milho, soja e feijão. O milho deve registrar produção 6,1% maior na primeira safra e manter 2,7 mil toneladas na segunda. A produção total do milho no Estado (primeira e segunda safras) deve alcançar 6,1 milhões de toneladas, o que é 8% superior à soma da safra de 2011. Goiás é o segundo maior produtor de milho do Centro-Oeste, atrás do Mato Grosso. A área total a ser colhida desse grão deve crescer em 6,9% este ano.

A previsão aponta ainda para um crescimento de 81,3% na segunda safra do feijão, passando de 41 mil toneladas na estimativa de janeiro para 74,4 mil toneladas em fevereiro. Mesmo com uma queda de 2,7% na produção da primeira safra deste grão o Estado deve fechar o ano com uma variação positiva em 8,8%. A área cultivada nas duas safras será de 140 mil hectares, nove mil hectares a mais que no ano passado.

De acordo com o assessor técnico para a área de cereais fibra e oleaginosas da Federação da Agricultura de Goiás (Faeg), Leonardo Machado, a significativa alteração nos números da segunda safra de feijão goiana deve pressionar a alta de 4,5% na produção nacional. A produção goiana de soja também deve registrar melhora, passando de 7,6 milhões de toneladas em 2011 para 7,9 milhões de toneladas este ano. A área plantada com o grão deve ser ampliada em 0,7%.

Dos 17,8 milhões de hectares cultivados com cereais, leguminosas e oleaginosas no Centro-Oeste, Goiás ocupa área de 4,1 milhões de hectares. Novamente o Estado perde para Mato Grosso (10,5 milhões de hectares). A produção de cana-de-açúcar em Goiás deve crescer 2,2% sobre o ano passado, totalizando 56,3 milhões de toneladas. A área plantada será mantida em 687 mil hectares.

Nacional A segunda prévia do IBGE prevê uma redução de 0,8% na safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas em relação à primeira. Devem ser produzidos 157,5 milhões de toneladas. Em janeiro a estimativa apontava para 158,7 milhões de toneladas até o final do ano. Nesta segunda estimativa há ainda uma queda de 1,5% sobre os 159,9 milhões de toneladas registrados no ano passado.

No País a área colhida é de 50,3 milhões de hectares, o que supera em 3,4% o ano passado. Soja, milho e arroz representam juntas 90,7% da produção nacional, ocupando 83,1% da área a ser colhida. O Centro-Oeste detém o maior percentual da produção com 60,3 milhões de toneladas. Em seguida aparecem as regiões Sul, 57,9 milhões de toneladas; Sudeste, 18,3 milhões de toneladas; Nordeste, 16,7 milhões de toneladas; e Norte, 4,3 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, houve incrementos nas regiões Nordeste (13,2%), Sudeste (6,5%) e Centro-Oeste (7,7%), e decréscimos nas regiões Norte (0,6%) e Sul (14,4%). Goiás é o quarto maior produtor nacional e detém 9,9% da produção nacional, logo atrás do Mato Grosso (22,3%), Paraná (19,2%) e Rio Grande do Sul (13,4%).

 (André Passos – Jornal O Hoje)